Home > Notícias > / Artigo #12 - Todas as Estruturas Irão Colapsar

/ Artigo #12 – Todas as Estruturas Irão Colapsar

Todas as estruturas irão colapsar. Isso é um fato e não uma dúvida. Todas as estruturas irão colapsar algum dia. Algumas delas serão colapsadas pela ação do homem, de forma controlada, para dar lugar à novas estruturas ou novos espaços, que, em seu momento, serão mais úteis e necessárias para a sociedade no futuro. Outras, entretanto, se colapsarão pela falta de ação do homem, de forma descontrolada e negligenciada pelos seus responsáveis legais e morais.

Dentro do mundo da engenharia, é claro e reconhecido que o concreto é o segundo produto mais utilizado no mundo, perdendo somente para o consumo da água. Colocando esse fato como premissa, é lógico considerar que exista um grande índice de estruturas de concreto que apresentem problemas ou manifestações patológicas.

O raciocínio estatístico é simples, se no planeta nascem mais mulheres do que homens, é fácil compreender que, considerando somente causas naturais, morram mais mulheres do que homens no planeta. Ou, se hipoteticamente em uma cidade somente existam duas marcas de carros A e B, onde a marca A representa 95% da frota e a marca B somente 5%, é natural compreender que o índice de acidentes de carros desta cidade indicará que a marca A está envolvida em um maior número de acidentes que a marca B. E isso é uma questão puramente estatística.

Partindo deste princípio, poderíamos então aceitar como normal, muitos dos acidentes e desastres envolvendo estruturas de concreto armado que estamos presenciando. Afinal, a estatística justifica os fatos. Entretanto, é preciso entender que, no que diz respeito às estruturas, existem vários fatores sobre os quais podemos atuar diretamente para interferir no resultado e minimizar o número de manifestações patológicas e desastres estruturais. É preciso entender que, sim, na engenharia podemos ter o controle da situação em mais de 90% dos casos. Evidentemente, não sem custo econômico.

As estruturas de concreto armado são elementos projetados, desenvolvidos e construídos para cumprirem uma determinada função, sujeitos à determinadas cargas e sob determinados graus de agressividade, para um determinado período. Se a estrutura alcança o tempo de utilização inicialmente determinado, entende-se que ela cumpriu o seu objetivo e foi durável o suficiente.

De uma forma muito simplificada, podemos associar o desempenho de uma estrutura à uma forma triangular, onde a base do triângulo representa o máximo de desempenho de uma estrutura nova (FIGURA 1). Com o passar do tempo (considerando o tempo zero na base do triângulo e o tempo final no pico), o desempenho irá diminuindo até chegar à região bem próxima ao pico do triângulo, que representa o momento a partir do qual a estrutura já não apresenta um desempenho mínimo aceitável para o qual foi concebida, e até mesmo chegando à sua ruína. Ou seja, ao final da vida útil da estrutura.

Figura 1 – Desempenho das estruturas no tempo

Figura 1 – Desempenho das estruturas no tempo

Do ponto de vista técnico, uma estrutura de concreto armado deve ser desenvolvida com base em normas NBR que, uma vez executadas adequadamente, garantirão a primeira etapa da vida útil da estrutura. A partir daí a estrutura deve ser acompanhada através de inspeções, e monitorada, quando a situação assim o requerer, para garantir que a integridade da mesma está sob controle.

Entretanto, é importante entender que inspecionar é apenas o primeiro passo, pois uma vez que se identifica a situação da estrutura, deve-se tomar ações preventivas para manter sua capacidade portante íntegra ou até mesmo recuperar parte de seu desempenho, sobre o qual já se esperava uma perda controlada.

Identificar a situação da estrutura e não atuar é o mesmo que ir ao dermatologista, identificar um câncer de pele e não realizar um tratamento adequado. Se você atua assim, já sabemos o desfecho. Claro que não será imediato, mas todos sabemos o que acontecerá com tal indivíduo. E no caso da estrutura de concreto armado, ocorre exatamente o mesmo.

ESTUDO DE CASO: REFORÇO POR MUNDANÇA DE FUNCIONALIDADE

A Construtora G-Maia possui extensa experiência na tecnologia de reforço e recuperação de estruturas em concreto armado. Dentre seus principais projetos realizados, evidencia-se o reforço estrutural das lajes de um edifício comercial em Belo Horizonte, por meio do sistema de fibra de carbono.

O edifício, projetado inicialmente para fins comerciais, sofreria uma mudança de funcionalidade para atuar como espaço de hotelaria. Devido à necessidade de construção de banheiros e da execução de cortes nas lajes para a criação de shafts para a passagem de tubulações entre os pavimentos, tornou-se indispensável reforçar estruturalmente tais pontos, de forma a garantir a estabilidade do sistema e o não comprometimento da capacidade portante das lajes.

Para um ambiente de hospedagem, a estética e o conforto dos cômodos consistiam um requisito de projeto, fazendo-se necessária a adoção de uma solução de reforço estrutural que não impactasse visualmente as estruturas. Visando atender ao requisito do cliente e utilizar uma tecnologia de rápida execução e baixa produção de entulho, a Construtora G-Maia foi responsável pelo reforço estrutural das lajes por meio da aplicação de perfis laminados de fibra de carbono nas regiões de corte.

A lâmina de fibra de carbono consiste em um compósito rígido de fibras e epóxi, capaz de conferir maior resistência às estruturas através de uma pequena área de aplicação. O material possui elevada resistência à tração apesar de sua pequena espessura, e quando bem aderido ao concreto, garante a elevação de sua capacidade de carga, sem aumentar significativamente sua seção transversal. Suas características possibilitam que o procedimento de aplicação seja rápido e com maior praticidade.

Figura 2 – Pavimento do edifício antes dos cortes na laje

Figura 2 – Pavimento do edifício antes dos cortes na laje

Figura 3 – Preparação da superfície

Figura 3 – Preparação da superfície

Figura 4 – Aplicação dos perfis laminados em região de corte

Figura 4 – Aplicação dos perfis laminados em região de corte

Figura 5 – Reforço executado em um dos pavimentos

Figura 5 – Reforço executado em um dos pavimentos

Figura 6 – Lajes cortadas após o reforço

Figura 6 – Lajes cortadas após o reforço

Após a conclusão dos serviços, as lajes reforçadas atenderam a todos os requisitos de segurança e durabilidade estrutural, e apresentaram-se altamente resistentes devido ao prolongamento de sua vida útil. Como em todas as estruturas concebidas pelo homem, deve-se acompanhar o desempenho dos elementos estruturais através de inspeções e monitoramentos periódicos, a fim de garantir que o sistema e sua integridade estrutural estejam controlados.

———————————————————————————————————————————————————————————————————————

Autor :

Jonhson Rigueira

 

Conteúdo em PDF : https://conecta-gmaia-production.s3-us-west-2.amazonaws.com/public/uploads/files/3418/12_-_Todas_as_Estruturas_Ir%C3%A3o_Colapsar.pdf

Últimas notícias